Contra a pandemia e os crimes em andamento do capitalismo e do Estado

0
154

A sociedade vencerá!

Por algumas semanas agora, nós temos enfrentado o inteiro espectro da pandemia letal do vírus COVID-19. Um vírus que põe em risco principalmente grupos vulneráveis da população. A maior parte da classe social enfrenta a doença e, por todo mundo milhares de pessoas de nossa classe estão morrendo, privadas dos meios necessários para sua proteção.

Hoje, é revelado da forma mais trágica a forma da natureza antissocial e homicida do sistema estatal e capitalista, que não é orientado para a satisfação das necessidades da maioria, mas sim, especialmente em tempos de crise, para a limitação e privatização de todos os recursos necessários para a base da classe social, expandindo sua existência parasítica sobre ela, cometendo mais um crime contra a mesma.

A apropriação pelas elites político-econômicas das riquezas socialmente produzidas e dos recursos disponíveis, a grande concentração de populações em grandes cidades, em “galleys” modernos, prisões e campos de concentração de migrantes e refugiados, a contínua degradação do sistema médico, enquanto as elites político-econômicas são hábeis a receber a melhor assistência médica possível, revela que: O sistema capitalista e estatal, o qual já sentenciou milhões de pessoas a morrer de fome, doenças e guerras, não está lutando contra a pandemia em evolução, mas apenas buscando a preservação dos privilégios e posições de poder dos chefes políticos e econômicos.

Isso é confirmado pelos anúncios diários do governo que visam nos lembrar do enorme dano que esta crise causará na economia e garantir consenso na reestruturação que eles estão preparando para impor ao próximo período de tempo, a fim de apoiar os capitalistas devido a queda em sua lucratividade. Na ocasião da pandemia em evolução, um novo ataque contra os trabalhadores e a sociedade está sendo preparado. Nós seremos chamados a pagar o que hoje é apresentado como “benefícios solidários” à base social, com um custo enorme as vidas de milhões de pessoas, que emergirão já feridas dessa batalha desigual.

Porque na realidade a luta contra a pandemia é feita pela base da classe social, apesar das condições que nossos opressores nos impuseram. A batalha contra a pandemia é dada por todos aqueles que tomam as medidas necessárias de proteção pessoal e coletiva porque eles entendem o risco para seu companheiro ser humano, pagando de seus próprios bolsos enquanto essa medidas deveriam estar disponíveis para toda a população.É dada também pelos médicos e equipes médicas, que em exaustão pessoal e autossacrifício, colocam todas suas energias em salvar vidas. É dada por todos que são forçados a ir para o trabalho todos os dias, em serviço de entregas, em transportes públicos, e supermercados fornecendo à sociedade a alimentação necessária, arriscando sua própria saúde, os agricultores e trabalhadores de saneamento.

É a base da classe social que, enfrentando difíceis condições, está mostrando seu enorme potencial, lutando para resistir a pandemia em um contexto de pobreza e miséria generalizada. E é o Estado e o capital, que continuam a reproduzir a si mesmos, e que são os obstáculos no enfrentamento da pandemia, não a solução. Privando comida e equipamentos médicos, todos os recursos existentes para essa luta, colocando preços em vidas humanas e especulando em suas mortes.São eles que não tem nada a “prometer” senão a militarização total da sociedade, e a repressão de todos aqueles que sobreviverem. São eles que lá estão preparando as próximas chacinas, a imposição de uma distopia, financiando exércitos ao invés de hospitais, policiais ao invés de doutores. São eles que promovem os interesses das companhias e chefes, quando ao mesmo tempo, defraudam direitos trabalhistas, com o abuso e irresponsabilidade dos patrões durante a pandemia, por forma de demissões, trabalho não declarado e intensificação da exploração. São eles que mesmo agora continuam ataques repressivos contra pessoas marginalizadas e militantes, despejando imigrantes de suas casas, espancando e ferindo seriamente antifascistas, como aconteceu recentemente em Rethymno.

Eles são os mesmos que estão há anos tentando dissolver as estruturas públicas de saúde por meio de cortes em seus orçamentos, demissões, fechamento de hospitais, resultando em menos unidades de cuidado intensivo disponíveis para aqueles que precisam. Os doutores e enfermeiros assumiram uma grande luta e nós oferecemos nossa solidariedade, e apoio a todas suas demandas. Nós exigimos recrutamentos imediatos e em massa (ao contrário da chacota que são contratos de curto prazo e trabalho voluntário) de doutores e enfermeiros e a provisão de todos os meios e recursos necessários para cobrir a assistência médica e necessidades da população, adição de planos de saúde e cuidados para todos que estão trabalhando no setor da saúde, a fim de evitar exaustão e perigos sérios a saúde dos mesmos.

Eles são os mesmos que prenderam dezenas de milhares de pessoas em condições de extremo perigo. Sua saúde está em um risco ainda maior devido a seu confinamento em horríveis condições e não toleraremos que sejam tratados como população dispensável. Exigimos suporte imediato a todos que estão aprisionados e o descongestionamento das prisões.Nós exigimos a libertação dos refugiados e imigrantes dos campos de concentração e a requisição de quartos de hotel vazios para protegê-los da pandemia, assim como a criação de estruturas especiais de saúde para todos.

Eles são os mesmos que empobreceram os trabalhadores e os desempregados que estão agora enfrentando o perigo da fome. Exigimos o pagamento a todas as pessoas, independente do status de seus empregadores e apoio especial para os pobres e sem-teto. A requisição de todo recurso disponível da riqueza social roubada, acumulada pelas elites políticas e econômicas, para as necessidades da sociedade é imperativa.

Qualquer tentativa do Estado em continuar sua campanha repressiva contra o povo e estruturas de resistência, dentro deste contexto, será um crime de guerra e será tratado como tal. Qualquer prisão no contexto de “negócios como sempre” da escória do Ministério de Proteção Civil significa que eles não exitarão em pôr as vidas e a saúde das pessoas da sociedade em geral em perigo, a fim de alcançar seus objetivos.

Durante essa condição sem precedentes que põe a vida de várias pessoas em perigo, proteção pessoal e coletiva não significa de forma alguma uma rendição aos desejos da ditadura estatal e capitalista, que estão planejando impor condições de vida ainda piores para a maioria da sociedade. Nós ficamos em casa devido a razões de consciência social, as quais são honestas, em contraste aos interesses hipócritas do Estado e dos patrões, que estão forçando a base da classe social a ir trabalhar, mesmo se seus setores de trabalho não estão conectados às necessidades da sociedade, colocando suas vidas em perigo. Eles são os mesmos que colocaram a população em quarentena, enquanto não fazem nenhum esforço para melhorar o sistema de saúde, seja contratando mais funcionários, ou abrindo novos quartos de cuidado intensivo e fornecendo equipamento médico. O guardião da consciência social e solidariedade não é nem nunca será o Estado e a polícia.

Estamos desenvolvendo a organização de grupos de solidariedade social que usarão de todos meios necessários de proteção para apoiar aqueles que estão extremamente vulneráveis.

Os recursos para a proteção da sociedade existem, nós, os trabalhadores, os produzimos, no entanto eles estão nas mãos de uma pequena minoria que tem provado inúmeras vezes seu desprezo pela vida humana, a favor de sua autoridade e riqueza. Já que sabemos que o Estado e os patrões são forçados a fornecer o básico apenas sobre pressão social, e já que preferem preservar o poder e a riqueza da elite ao invés da saúde e a vida de milhares de pessoas, quando e onde nossas consciências exigirem estaremos nas ruas para lutar pela vida contra a morte, tomando todas as precauções para nossa proteção pessoal e coletiva contra a pandemia.

A luta da base da sociedade contra a pandemia é o primeiro e necessário passo para a preservação da vida. Será imperativo lutar também contra o sistema estatal e capitalista, que impôs estas condições que tornam a propagação do vírus ainda mais mortal, mais massiva, que agora está impondo controle total sobre nós.

Solidariedade, apoio mútuo e resistência não podem ser proibidos ou postos em quarentena. A luta de classe, especialmente do lado de nossos patrões, não têm sida posta em quarentena e não deverá cessar de nosso lado.

Nós prevaleceremos, como humanos e não “canibais” egoístas, como pessoas da resistência e não aterrorizados e derrotados, como anarquistas, lutando por uma sociedade de pessoas livres e iguais, uma sociedade que priorizará a proteção dos mais vulneráveis, que seu principal objetivo será às necessidades sociais e uma sociedade, cuja principal preocupação será o bem-estar e o apoio do povo e não de uma casta poderosa que lidera a humanidade à distopia da morte, empobrecimento e controle.

Nenhum demitido, nenhum sem teto, nenhum faminto, nenhum desamparado e abandonado na pandemia

NENHUMA CONCESSÃO À NOSSAS NECESSIDADES  

TUDO PARA TODOS, COMIDA, AQUECIMENTO, HABITAÇÃO

CONTRA A DISTOPIA DO TOTALITARISMO MODERNO, A BRUTALIDADE ESTATAL E CAPITALISTA QUE TRAZ A MORTE

SOLIDARIEDADE SOCIAL E AUTO-ORGANIZAÇÃO DE CLASSE

Organização Política Anarquista – Federação de Coletivos

Março 2020

Site: http://apo.squathost.com/ | E-mail:anpolorg@gmail.com | FB: anpolorg | Twitter: @anpolorg

Tradução > A. Padalecki agência de notícias anarquistas-ana